Louvre Abu Dhabi será inaugurado em novembro


Depois de anos de atrasos, o projeto monumental abre suas portas a partir de 11 de novembro

Uma década após o anúncio do acordo entre França e Emirados Árabes, finalmente a data de abertura do Louvre Abu Dhabi foi anunciada: 11 de novembro de 2017. A parceria tem duração prevista de 30 anos e recebeu 10 bilhões de euros em investimento.

O museu da Ilha Saadiyat abriga uma coleção abrangente com mais de 600 obras de arte. O maior destaque do projeto, talvez, seja o tesouro de 300 obras emprestadas pelos principais museus da França, incluindo não só do Louvre, mas também Musée d’Orsay, Centre Georges Pompidou e Versailles, entre outros.

Os empréstimos representam um intercâmbio cultural sem precedentes entre as duas nações – uma lista de destaque da história da arte ocidental, desde pinturas de Leonardo Da Vinci e Giovanni Bellini até Paul Gauguin e Piet Mondrian.

Parceria e acervo

Abu Dhabi pagou à França US $ 525 milhões para usar o nome “Louvre” sob licença, além de US$ 750 milhões adicionais para contratar uma equipe francesa para supervisionar as obras emprestadas, de acordo com o Washington Post. O acordo inclui o empréstimo de exposições por 15 anos e o empréstimo de obras de arte por uma década.

A coleção não será organizada cronologicamente. Ao invés disso, as obras serão agrupadas por temas como o alvorecer da globalização, a representação do poder e a representação do divino. Uma galeria dedicada a textos religiosos antigos abrigará uma folha do Alcorão Azul, uma Bíblia gótica, um Pentateuco e textos do Budismo e do Taoísmo.

Fora do museu, instalações site-specifics dos artistas contemporâneos Jenny Holzer e Giuseppe Penone receberão visitantes. O complexo também inclui um centro de estudo, um museu para crianças, restaurantes e uma loja.

Arquitetura Faraônica

O edifício, projetado por Jean Nouvel, vencedor do Prêmio Pritzker, é impressionante. O arquiteto imaginou o Louvre como uma “cidade-museu”, parcialmente coberta por uma cúpula de 180 metros de diâmetro. Mais de 8.000 m² foram reservados para os espaços de exposição internos, que contarão com 23 galerias de exposição.

“É uma arquitetura que protege seus tesouros, é uma homenagem à cidade árabe, a sua poesia em geometria e luz, e, sob a grande cúpula, é uma evocação das temporalidades que inexoravelmente pontuam as horas, os dias e a passagem de nossas vidas”, disse Nouvel em um comunicado.